top of page
  • Foto do escritorCH34 Creative

Brand Storytelling: definição e exemplos

Brand storytelling é a criação de narrativas em torno da história da marca e da sua identidade. Utiliza princípios e técnicas da contação de histórias para se conectar emocionalmente com os consumidores. A seguir, vamos entender melhor o que é brand storytelling e como aplicar na sua marca.

Como você contaria a sua história? De onde você veio, onde morou, onde estudou, por que recebeu esse nome, o que gosta de fazer, quais seus sonhos? Essas questões ajudam a construir uma narrativa para a sua vida, ou seja, o seu storytelling pessoal.


Assim como pessoas, marcas também têm histórias. E essas histórias se tornam narrativas interessantes e envolventes sob a perspectiva do brand storytelling, uma das principais estratégias de branding.

Marcas também têm uma origem, lugares por onde passaram, dificuldades que enfrentaram, pessoas que cruzaram seu caminho e muitos sonhos pela frente. Contar essa história, então, pode ser um ponto crucial de conexão emocional com os seus públicos.



O que é brand storytelling?


Brand storytelling é a criação de narrativas para comunicar a identidade da marca e se conectar emocionalmente com seus públicos.


A história da marca é um dos pilares do branding. É feita de tudo o que ela é, tudo o que faz e por que existe. Ela engloba todas as definições da construção da marca, como a personalidade, o propósito, os valores, a cultura, a missão e a visão.


Vale lembrar que a história das marcas está sendo escrita também no presente, no seu dia a dia, nas decisões que toma a cada momento. Então, o brand storytelling abrange não só como a marca chegou até aqui, mas também o que está fazendo para chegar aonde deseja.


Mas não estamos falando apenas da descrição desses elementos na página Quem Somos do site. O brand storytelling vai muito além. Essa área de branding cria uma narrativa, com os elementos e as técnicas da contação de histórias, para falar de uma maneira envolvente sobre as suas origens, a sua trajetória e os valores que guiaram suas escolhas.


Não estamos falando também de invenção. Você pode usar a ficção no brand storytelling e construir uma narrativa mais interessante — e aí está a arte de contar histórias. Mas não dá para inventar fatos sobre a história da marca, ok? As pessoas se conectam com transparência e autenticidade. Quando se sentem enganadas, a marca dá um tiro no pé.



Por que usar brand storytelling?


Vivemos em um mundo acelerado. Não há mais tempo para nada, mas também não param de surgir novos estímulos, novas informações e novas demandas para ocupar o nosso dia.


Por isso, a atenção dos consumidores para as marcas está cada vez mais dispersa. É muito fácil esquecer qual era a marca do anúncio que você viu — afinal, já apareceram tantas depois… Também é fácil mudar de uma loja para a concorrente — é só abrir uma nova aba do computador…


Ao mesmo tempo, as pessoas buscam conexões mais fortes com as marcas. À medida que as novas gerações avançam, marcas e consumidores constroem relações cada vez mais próximas e humanas.


A geração dos Millennials não quer mais marcas que só vendam produtos — eles querem compromissos reais com a sociedade e com o futuro do planeta. A partir da geração Z, essa cobrança sobre as marcas se intensifica: elas precisam ter um propósito e valores, que se conectem com o público.


Por isso, o brand storytelling vem se tornando uma das principais estratégias de branding. Histórias são capazes de envolver as pessoas em um nível mais profundo, que mexe com as emoções e a memória afetiva, que aciona gatilhos de empatia e gera identificação.


Portanto, o storytelling é uma forma de comunicar o que a marca é, o que defende e quais valores embasam a sua personalidade. Mas não por meio de um texto que cita essas informações em tópicos, por exemplo. O storytelling transmite o branding de maneira mais subjetiva e abstrata, interessante e envolvente.


Lembre-se de que histórias são contadas desde os primórdios da humanidade, antes de haver qualquer forma de escrita. São a forma mais primitiva de propagar o conhecimento de geração em geração. Por isso, envolver-se com a contação de histórias está na essência do ser humano.


Pense na imagem de um ancião, com um grupo de pessoas sentadas à sua volta, ávidas por ouvir suas histórias, como na imagem abaixo. É assim também com as marcas que contam o seu brand storytelling e engajam a comunidade no seu entorno.


Fonte: Wikipedia

Quais os benefícios do brand storytelling?


Vamos agora detalhar os benefícios do brand storytelling ao reunir em uma narrativa os fatos, as emoções, os valores e o propósito da marca. Vamos a eles:


Engaja os consumidores

Humaniza a marca

Gera conexão emocional

Aumenta a atratividade da marca


Como o brand storytelling é aplicado na comunicação?


Não basta criar uma narrativa para a sua marca. É preciso saber comunicá-la ao público. Por isso, o brand storytelling precisa aparecer na comunicação, nos diversos pontos de contato com o consumidor, dos formatos mais básicos até narrativas mais complexas.


A história da marca pode ser contada de muitas formas diferentes. O canal mais básico é a página sobre a empresa no site institucional, que pode trazer um texto contando sobre a sua origem ou até uma linha do tempo com seus principais marcos. Veja, por exemplo, a página Sobre da Netflix:


A marca também pode contar sua história em um vídeo institucional ou nas redes sociais — em um post de apresentação, uma série de publicações ou nos stories em destaque do Instagram, por exemplo.


Um exemplo criativo de uso das redes sociais para contar a história da marca e envolver a audiência é o Museu de Brinquedos da Fisher-Price.


Em 2020, no aniversário da marca, a empresa criou um perfil no Instagram como se fosse um museu virtual, com todos os brinquedos que já lançou e que marcaram a infância de várias gerações. É uma linha do tempo nostálgica, que conta a história da marca e, ao mesmo tempo, conecta-se com as lembranças do público.


Mas o brand storytelling pode usar outros recursos e ser um pouco mais complexo. A história da marca não precisa ser tão linear e literal como uma linha do tempo. Outros elementos podem entrar em cena para construir uma narrativa mais interessante sobre o que a marca é e por que ela existe.


Por isso, a história da marca pode se revelar também em narrativas que cruzam com a sua história. A história do cliente que superou desafios com o seu produto, de como a equipe se organizou para criar uma solução inovadora, de como a empresa desenvolveu a sua cultura organizacional — tudo isso ajuda a comunicar a história da marca e os seus valores ao público.


O Airbnb, por exemplo, contou a história da criação do logo da marca para mostrar o seu propósito. A partir dessa história, conseguiu construir a ideia de pertencimento a qualquer lugar do mundo, que é o pilar da sua missão.



Fonte: All Good Tales

Muitas vezes, o branded content é usado para contar a própria história da marca ou outras histórias que ajudam a comunicar o branding.


O MailChimp, por exemplo, criou o MailChimp Presents, com várias produções de filmes e podcasts sobre o espírito do empreendedorismo. Dessa forma, a empresa não se coloca apenas como uma plataforma de marketing, mas como uma marca que impulsiona o crescimento de pequenos negócios.


Portanto, perceba como o brand storytelling pode se desdobrar em diferentes formatos no marketing de conteúdo — muito além da linha do tempo ou do texto básico sobre a fundação da empresa.


O importante é que todas as narrativas contadas pela marca façam sentido, de acordo com o branding. A história da marca, que engloba a sua personalidade, os seus valores e o seu propósito, torna-se um dos pilares que sustenta todas as suas ações e estratégias.




Comentarios


bottom of page