top of page
  • Foto do escritorLuis Piccardi

7 táticas em apresentações características de Steve Jobs

Steve Jobs, um ícone memorável em apresentações e muito provavelmente o maior contador de histórias corporativas de todos os tempos. Sua capacidade sempre elegante de informar, educar, entreter e inspirar seu público foi o que lhe concedeu esse destaque. 🏆

Usá-lo como referência é sempre uma boa tática na hora de apresentar. Por isso, tentamos aqui destrinchar e decodificar esse estilo marcante, e guardarmos na manga para entregarmos sempre super apresentações.




Prática

A diferença entre o ordinário e o extraordinário é a prática.” — Vladimir Horowitz

Steve Jobs não era um comunicador nato. Ele trabalhou duro para ser um. Ele costumava praticar não por horas, mas por dias ou até semanas antes de sua apresentação final. Jobs costumava se acostumar às condições de como será, ensaiando no palco no local real com luzes, projetores, câmeras, etc. É esse tipo intenso de prática que o fazia parecer tão polido e sem esforço.






Regra de três

“Na mente do iniciante existem muitas possibilidades, na mente do especialista existem poucas” — Shunryu Suzuki

A regra de três afirma que as coisas que vêm em três são mais fáceis de lembrar do que qualquer outro número e Jobs usava esse conceito. Essa é a razão de ao apresentar o primeiro iPhone em 2007, ele mencionou: "Hoje estamos apresentando três produtos revolucionários. O primeiro, um iPod widescreen com controles de toque. O segundo, é um telefone móvel revolucionário. E o terceiro é um dispositivo inovador de comunicação pela Internet.” Enquanto o público aplaudia, Jobs repetiu os três 'produtos' várias vezes. Finalmente, revelando que estes não são três dispositivos distintos, mas apenas um aparelho que "estamos chamando de iPhone!”.





Faça grudar

Como apresentador, você precisa ser muito claro sobre qual é a mensagem principal que deseja que a audiência leve para casa. Uma mensagem rápida, que transmita tudo e grude na mente do público. Quanto mais longa a mensagem, menos provável que ela grude, pela simples razão de que é mais difícil de lembrar. A chave aqui é: menos é mais. Dê uma olhada rápida nas manchetes após o primeiro lançamento do iPhone e você provavelmente verá "Apple reinvents the phone" (“A Apple reinventa o telefone”). Essa é exatamente a mensagem que Jobs queria que todos levassem para casa. Essa é a razão pela qual “Apple reinventa o telefone” foi a única mensagem no slide ao apresentar o lançamento. E ele repetiu várias vezes durante a apresentação, para reforçá-la.




Storytelling


Todos nós amamos histórias e Jobs era um mestre em contá-las. Ele começou o lançamento do iPhone com a história da Apple: “Em 1984, a Apple lançou o primeiro Macintosh. Não mudou apenas a Apple. Mudou toda a indústria de computadores. Em 2001, lançamos o primeiro iPod. Não mudou apenas a maneira como todos ouvimos música. Isso mudou toda a indústria da música.


E, em seguida, vinculou-o ao lançamento do iPhone (com a tática dos três produtos revolucionários).




Crie suspense


Uma parte essencial de uma história envolvente é o suspense que leva o público a fixar a atenção e esperar ansiosamente o que está por vir. E Jobs criou isso maravilhosamente bem com sua famosa piada de "one more thing..."(“mais uma coisa...”).



Não entrar em pânico


Apresentadores especialistas entendem que, mesmo depois de tanto planejamento e prática, as coisas podem não sair como planejado. E o mesmo não aconteceu com Jobs quando seu assistente não conseguiu avançar os slides. Depois de brincar com isso por alguns segundos, em vez de entrar em pânico, Jobs rapidamente transformou aquele provável momento de pânico em um momento mais leve e agradável, enquanto começava a contar um conto engraçado de como ele e Steve Wozniak costumavam pregar peças nos alunos, no dormitório da faculdade de Wozniak, enquanto sua equipe nos bastidores corrigia o problema.




Divirta-se


Jobs apresentou o iPhone pela primeira vez e disse “aqui está”. Em vez de revelar o iPhone, o slide mostrava uma foto de um iPod com um botão giratório antiquado que dividia o público. Além disso, enquanto demonstrava o recurso de mapas, ele encontrou um Starbucks nas proximidades e ligou para ele. Uma senhora atendeu e Steve disse: “Gostaria de pedir 4.000 lattes para viagem, por favor. Não, é brincadeira. Número errado. Tchau tchau." Bom humor nunca prejudica, então aproveite e divirta-se.



Comments


bottom of page